Retrospectiva 2008 – Polícia

Os noticiários estiveram recheados de notícias policiais – infelizmente – tanto relativos ao caso Dantas que teve voltas e reviravoltas, ocupando as primeiras páginas por semanas, quanto por casos mais particulares que chegaram à mídia e despertaram a atenção do público.

Um desses casos foi o espancamento covarde de um rapaz em Sorocaba à porta de uma boate, filmado pela câmera de segurança e que chocou o país. Muitas foram as manifestações de revolta, pouca gente ficou indiferente.

Nossa polícia também deu mau exemplo, como foi o caso do confronto entre as polícias civil e militar em São Paulo. Notícia foi o que não faltou.

Casos de polícia:
Confronto de policiais em São Paulo
Polícia Civil e Polícia Militar entram em confronto em São Paulo
Notícias do rapaz espancado em Sorocaba
Mudança de discurso
Afastamento dos delegados do Caso Dantas
O palácio caiu! Nahas, Dantas e Pitta foram enquadrados pela PF
Justiça aceita denúncia contra Dantas
Advogado de Dantas pede afastamento de De Sanctis
Espancamento em Sorocaba – repercussão
Chocante – espancamento em Sorocaba

O palácio caiu! Nahas, Dantas e Pitta foram enquadrados pela PF

Correio do Estado

O banqueiro Daniel Dantas, dono do grupo Opportunity, o investidor Naji Nahas e o ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta, foram presos na manhã de hoje, pela Polícia Federal (PF), durante a Operação Satiagraha, que investiga esquema de desvio de verbas públicas, corrupção e lavagem de dinheiro, em ações coordenadas em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Salvador, mas concentrada na capital paulista. O delegado Protógenes Queiroz comandou mais de 300 agentes da PF envolvidos nos trabalhos que incluíram 24 mandados de prisão e 56 de busca e apreensão.

Além de Daniel Dantas, foram presos os principais diretores do Opportunity. Todos foram trazidos para São Paulo. Entre eles estão a irmã de Dantas, Verônica; seu ex-cunhado e diretor do Opportunity, Carlos Rodemburg; o diretor Arthur Joaquim de Carvalho; o presidente do grupo Opportunity Dorio Ferman; a advogada Maria Amália Coutrim, e o funcionário Rodrigo Bhering de Andrade. Todos são acusados pela PF de formação de quadrilha; gestão fraudulenta; evasão de divisas; lavagem de dinheiro e sonegação fiscal.

Links mais acessados

  • Nenhum

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Contato